Buscar
  • AMAREespacoterapeutico

Sobre estar em casa

Este momento que estamos vivendo, a quarentena, o isolamento para conter a propagação do virus COVID-19 está nos tirando definitivamente da rotina e da zona de conforto, fazendo pensar e mudar muitas coisas.

Do ponto de vista da saúde mental, é um momento que exige atenção. Todos nós estamos acostumados a sair para trabalhar ou estudar, ter liberdade de ir ao mercado ou reunir-se com amigos, e momentaneamente estamos impedidos de exercer essa liberdade. Isso significa mudar hábitos e lidar com o isolamento.

Não são férias, então, muitas vezes precisamos reorganizar a rotina para realizar tarefas profissionais e domésticas durante o dia. Encontrar formas de adequar nossos "escritórios em casa", competindo com crianças que não podem ir a escola, atividades domésticas e distrações em geral.

Se você é do grupo que está podendo trabalhar normalmente de casa, aqui vão algumas dicas:

· Comece seu dia normalmente – se você está acostumado a tomar um banho e se arrumar diariamente em um determinado horário, continue. Se toma café da manhã, se faz alguma outra atividade antes de sair para o trabalho, procure manter sua rotina o máximo possível. É importante não pular direto para “ligar o computador” ainda de pijama.

· Se arrume, se vista, sinta-se bem com seu visual. Ainda que não vá fazer nenhuma vídeo chamada, você se sentirá melhor consigo mesmo!

· Adapte seus horários – você provavelmente não precisará de 1 hora de trânsito para chegar ao seu “novo escritório”. Use da melhor forma esse tempo de que agora você dispõe, acrescente uma meditação, um telefonema para algum ente querido, um preparo de refeição nesses novos horários livres.

· Avise as pessoas que estão em casa com você que você está trabalhando. Muitos não entendem isso, não é por mal, talvez seja uma novidade. Explique pacientemente que você não deverá ser interrompido, especialmente se estiver em reuniões. Se precisar, coloque um aviso na porta do quarto e se feche lá dentro.

· Procure determinar – se precisar escreva numa agenda ou planner – de que horas a que horas estará “no trabalho”. Se você normalmente trabalharia das 8h às 17h, com 1 hora de almoço, procure replicar isso no seu “home office”.

· Durante seu expediente, faça pequenas pausas. Como se estivesse no escritório, vá até “a copa” pegar uma água ou um cafezinho, dê uma conferida em suas mensagens particulares, pague uma ou outra conta, fale com algum colega de trabalho ou amigo, como faria normalmente. É comprovado que nossa qualidade de atenção cai muito depois de 2 horas, por isso, 5 minutos de intervalo a cada 2 horas é fundamental para manter a concentração e foco.

· Como você está no “escritório”, evite de se distrair com tarefas domésticas e redes sociais. Deixe isso para aqueles momentos em que você estiver fora do horário de expediente. Se precisar realizar mais tarefas domésticas por ter ficado sem ajuda, use aqueles horários que você normalmente estaria no trânsito!

· Não deixe de lado os exercícios físicos, um hobbie, estar com os filhos. É fundamental para nossa saúde mental poder diversificar nosso dia. Incluir coisas que nos fazem bem, que nos alegram, também contribui enormemente para o nosso sistema imunológico. Como não podemos frequentar academias e aulas presenciais é fundamental encontrar uma forma de manter o corpo ativo. Na internet há várias opções de aulas de yoga, balé, dança do ventre, exercícios localizados, além de uma grande variedade de aplicativos e professores e personal trainers que já aderiram a esse modelo de aula virtual. Também há muitas opções de cursos EAD com diversos temas.

· Crianças em casa – quem os tem, independente da idade, terá que encaixar na rotina um tempo bem maior de “esclarecimento de dúvidas” e pedidos de atenção. Procure pensar que mesmo que seu chefe não tenha filhos, ele está ciente que as escolas estão paradas. Você vai precisar adaptar sua produtividade nesse novo modelo. Não seja tão duro consigo mesmo. Acomode na medida do possível, atividades como aulas virtuais e lições de casa, eletrônicos e leituras, sonecas e banhos, como for melhor para vocês todos. Se tiver outro adulto em casa, combine “turnos” de responsabilidade. Se precisar, apele para tutores virtuais, já vi alguns anúncios nesse estilo. Você coloca a criança no Skype em contato com um professor ou os avós (até porque, eles precisam se ver né?).

Se você é do grupo que ainda precisa sair para trabalhar, procure seguir as orientações oficiais sobre entrar e sair de casa. Não é o caso aqui de comentar sobre as ações, mas sei que a informação está disponível amplamente. Muito cuidado com higiene, mas também quero reforçar que se você não tem opção, não se oprima. Faça seu melhor com consciência. Já há muitos juízes severos por ai, não seja um deles.

Se você já não estava trabalhando, mas tinha uma rotina mais livre do ponto de vista do ir e vir, ou ainda se acabou ficando sem trabalho nesse período, pode sentir-se particularmente triste com esse isolamento. Ofereça seu tempo de qualidade para aqueles que estão dentro de casa com você, faça aquelas atividades que sempre quis fazer mas não encontrava tempo, como arrumar os armários, fazer um curso online, escrever seu livro, assistir maratonas de séries, cozinhar... E também se ofereça para os contatos virtuais. Muitos idosos estão sozinhos e precisam de atenção. Muitas crianças podem se entreter com uma vídeo chamada enquanto os pais trabalham. Montar um bom currículo, ou desenvolver um plano de negócios para um empreendimento seu também exige trabalho cuidadoso e demorado. Foque nisso se é seu caso. Zere o Linkedin, faça inscrições em sites, pesquise sobre empresas e negócios. Faça cursos online de especialização.

O fundamental para todos nesse momento é buscar uma atitude positiva e conscientemente se colocar nessa frequência. O baixo astral, a sensação de impotência, o medo se aproveitam e se alimentam de si mesmos. Mantenha-se conscientemente positivo e ativo, organizado e com atividades agradáveis mescladas às obrigações, e passaremos por essa fase com louvor.

Não esqueça de procurar ajuda se precisar. Não podemos ignorar sinais de que é necessário uma intervenção. Há várias opções de atendimentos gratuitos (como o CVV – 188) ou pagos (como psicoterapia por vídeo ou telefone).

Em breve, tudo voltará ao normal, e provavelmente, será ainda bem melhor do que o que já vivemos, pois cresceremos muito durante toda essa experiência!

Fiquem saudáveis!

Raquel de Moraes Sarmento

CRP 126910



32 visualizações

whatsapp (11) 945824067

©2019 by AMARE Espaço Terapêutico. Proudly created with Wix.com